cover
Tocando Agora:

Inflação acelera para 0,46% em maio, impulsionada por alta dos alimentos e efeitos enchentes RS

No ano, a inflação acumulada é de 2,27% e, nos últimos 12 meses, de 3,93%.

Inflação acelera para 0,46% em maio, impulsionada por alta dos alimentos e efeitos enchentes RS
Com aumento de 20,61%, a batata-inglesa foi o item de maior impacto individual sobre a inflação do país em maio | Foto: Acervo IBGE

    ECONOMIA   ️ Edição/ Aroni Fagundes

Rio de Janeiro  |  O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, mostra que os preços subiram 0,46% em maio, acelerando em relação ao mês anterior (0,38%).,segundo dados divulgados nesta terça-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

Esse resultado foi pressionado pelos preços dos alimentos e bebidas, que subiram 0,62% na comparação com abril, influenciados, sobretudo, pela alta dos tubérculos, raízes e legumes (6,33%). Dentre eles, destaca-se a batata-inglesa, com aumento de 20,61%, o maior impacto individual sobre o índice geral.

 

No ano, a inflação acumulada é de 2,27% e, nos últimos 12 meses, de 3,93%.


O gerente da pesquisa, André Almeida, observa que a mudança das safras é um dos fatores relacionados ao aumento do tubérculo. “Em maio, com a safra das águas na reta final e um início mais devagar da safra das secas, a oferta da batata ficou reduzida. Além disso, parte da produção foi afetada pelas fortes chuvas que atingiram o Rio Grande do Sul, que é uma das principais regiões produtoras”, diz.


Além da batata-inglesa, outros alimentos com grande presença na mesa dos brasileiros também subiram em maio, com destaque para a cebola (7,94%), o leite longa vida (5,36%) e o café moído (3,42%). “O leite está em período de entressafra e houve queda nas importações. Essa combinação resultou em uma menor oferta. Em relação ao café, os preços das duas espécies têm subido no mercado internacional, o que explica o resultado de maio”, destaca o pesquisador.


Mesmo com essas altas, o preço da alimentação no domicílio (0,66%) desacelerou ante abril (0,81%). Por outro lado, os preços da alimentação fora do domicílio (0,50%) subiram mais do que no mês anterior (0,39%).

Com informações | agenciadenoticias.ibge.gov.br (11062024|09h00) e g1.globo.com (11062024|09h00)

 

 

 

Comentários (0)